sábado, 24 de setembro de 2011

SMOOTH FM


Está no ar desde 4.ª feira a nova estação de rádio Smooth FM.


Pode ser ouvida em 103.0 e no site http://smoothfm.clix.pt/.



Uma primeira iniciativa da Smooth FM, um duplo CD com as suas "músicas":

Viva a Palestina

Pois, a Palestina...

A resposta das "potências ocidentais" à apresentação do pedido de adesão de um Estado da Palestina às Nações Unidas como membro de pleno direito efectuada ontem, põe mais uma vez a nu a grande hipocrisia desta tal civilização.

Civilização estranha que permite a mais brutal opressão de um povo, que permite a humilhação sistemática (e mesmo o extermínio) de 10 milhões de pessoas - pois, a população palestiniana, residente no seu país ocupado pelos sionistas e na diáspora, é igual à de Portugal.

E Portugal? A posição deste governo de "abanar o rabito" aos EUA e aos seus súbditos europeus - não é esta a Europa, a União Europeia, que queremos certamente -, é sintomática do que vai "na alma" desta gente e não corresponde ao "sentir" do povo português, ele próprio oprimido durante muitos anos.

Não nos parece sequer importante discutir se a apresentação deste pedido à ONU é a via correcta ou adequada para a afirmação da Palestina; parece-nos sim da mais elementar justiça que, desta ou de qualquer outra forma, seja posto fim à ocupação e à barbárie israelita sobre o povo da Palestina.


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Nova estação de rádio - SMOOTH FM (103.0)

Na próxima 4.ª feira dia 21, às 18H30, arranca em Lisboa uma nova estação de rádio - Smooth FM.

Esta nova estação do grupo Media Capital Rádios - m80, Cidade FM, Rádio Comercial, Best Rock FM, Star FM (ex-Rádio Clube Português) -, vem suceder à Best Rock, centrando a sua emissão em música jazz.




Em nota endereçada à Agência Lusa, a Media Capital Rádios descreve a nova estação como "dedicada ao smooth Jazz e a sonoridades ligadas ao jazz, como a soul e os blues".

"De Count Bassie a Diana Krall, passando por Tony Bennett, Elvis Costello, Ray Charles, Miles Davis, Nora Jones e, obviamente, Frank Sinatra, a Smooth FM vai preencher um novo espaço radiofónico, atingindo toda uma nova e vasta audiência".

A Smooth FM emite em Lisboa na frequência 103.0 e na Região Centro na frequência 92.8.

sábado, 17 de setembro de 2011

As Feiras Novas de Ponte de Lima

As Feiras Novas em Ponte de Lima, ocorridas no fim da semana passada, são a grande festa de encerramento das tradicionais romarias minhotas.


O programa dos quatro dias das festas é múltiplo e variado - cortejos (etnográfico e histórico), concursos de gado, concertos, desfiles de zés pereiras e gigantones, (espectacular) fogo de artifício, etc.






Os cortejos:
Concurso e desfile de gado:

O fogo de artifício:
As iluminações festivas:
Mas ainda há melhor nas Feiras Novas: é mesmo a festa do povo - as rusgas e concertinas, os bombos, os gaiteiros, os cantares ao desafio; dessa festa falaremos a seguir.

Sérgio Godinho apresentou em Sintra "Mútuo Consentimento"

Ontem à noite no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, Sérgio Godinho apresentou o seu novo disco - "Mútuo Consentimento" -, lançado na passada 2.ª feira.


Uma descrição do concerto, a cargo, com a devida vénia, de Marta Rocha, em http://www.myway.pt/#/noticia/sergio_godinho_apresentou_mutuo_consentimento_em_sintra_contamos_como_foi_5154.aspx):
Sérgio Godinho acaba de lançar o álbum “Mútuo Consentimento” e apresentou-o esta noite no Centro Cultural Olga Cadaval, perante uma plateia de várias gerações que esgotou a sala. No ano em que celebra 40 anos de carreira, o músico trouxe os excelentes "assessores" provou o que se esperava: Sérgio Godinho não envelhece e embora mude a cada novo trabalho, a cada nova digressão, sabemos sempre que podemos confiar nele.

A música de Sérgio Godinho é palavra, é sabido por todos, não é por isso de estranhar que tenha começado o concerto de apresentação de “Mútuo Consentimento” com “Mão na música”, belíssimo elogio à música em formato “Spoken Word” que serve também de abertura do disco. Entre as batidas alegres de “Bomba Relógio”, ou “Eu vou a jogo” e a calma da brilhante “valsa” criada a meias com Bernardo Sasseti em “Dias Consecutivos”, “Mútuo Consentimento” é apresentado quase por inteiro e conseguimos ver as canções a crescer, a ganhar personalidade perante uma audiência que as soube receber.

Com uma carreira de quarenta anos e uma série de clássicos que marcam a história da música nacional, Sérgio Godinho resiste à tentação de prosseguir pela nostalgia fácil e cria um alinhamento equilibrado, entre os clássicos e os novos temas. Entre copos de vinho, o músico explica como nasceram as novas músicas e reage com piada aos percalços antes de “Só neste país", como quem sabe que está em casa.

Se as novas canções foram bem recebidas, temas ouve em que bastaram os primeiros acordes para serem ovacionados. “Liberdade” e “Arranja-me um emprego” foram dos mais aplaudidos da noite e percebemos que as letras de intervenção do cantor voltam a ter um significado especial para quem o ouve.

O arrepio de “Primeiro Dia” cantado em conjunto, a festa de “Quatro Quadras Soltas” e uma “Lisboa que Amanhece”, tocada por Sérgio Godinho só à guitarra e interpretada em sussurro colectivo foram alguns dos momentos mais bonitos de uma noite que também o foi. “A noite passada” pôs um ponto final no concerto que mesmo sem brilhozinho nos olhos, nos soube a tanto.

Esta tarde, às 18H00, passou também na TSF uma entrevista com Sérgio Godinho acerca deste novo disco (http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1998827).



video

terça-feira, 6 de setembro de 2011

As Pousadas da Juventude

As Pousadas da Juventude (que, contrariamente à designação, não são exclusivas para jovens), são um excelente meio na “arte de viajar” de forma económica e segura.

São muitas as vantagens desta rede de pousadas geridas por uma entidade da Administração Pública (Mobijovem - http://microsites.juventude.gov.pt/Portal/pt/default.htm): grande número de equipamentos (actualmente 54), boa cobertura do país (todo o continente de Norte a Sul e também nas Iihas), garantia de condições de higiene e de segurança, profissionalismo e cordialidade dos seus trabalhadores, preços mesmo muito acessíveis (que incluem um bom pequeno-almoço).

O acesso a esta rede de pousadas pressupõe a aquisição de um cartão – Cartão de Alberguista, custo anual de 6,0 € –, que poderá ser mesmo requerido pela Internet, e remetido por correio ao destinatário no prazo de 3 dias úteis (que são mesmo cumpridos).


A Mobijovem encontra-se numa fase de alguma indefinição quanto ao seu futuro (as notícias apontam para a sua fusão com outras 2 entidades públicas), que esperamos seja ultrapassada rapidamente, certamente com a sua manutenção como bom serviço público que o é - contrariamente ao que neste dias "eventualmente tumultuosos" se quer fazer crer, há mesmo exemplos de boas práticas de serviço público...


Pousada de Vila Nova de Foz Côa



Pousada de Idanha-a-Nova

F. I. Sendim - Oficina de Danças Tradicionais

No âmbito do 12.º Festival Intercéltico de Sendim realizou-se em 06 de Agosto no largo principal dessa vila uma Oficina de Danças Tradicionais.

A Oficina foi dinamizada pelos “Gaiteiros de Sendim – Grupo Lenga Lenga”, (http://www.lengalenga.net/), com um papel de destaque para o jovem Dinis Arribas, oriundo de uma família de gaiteiros e construtores de gaitas de foles das Terras de Miranda.



Um vídeo:


video

Museu do Côa


O Museu do Côa, inaugurado no ano passado, merece mesmo uma visita.

Para além do valioso espólio sobre as gravuras de Foz Côa, do seu carácter pedagógico acerca da pré-história e da imponente paisagem sobre as gravuras de Foz Côa, há que apreciar a arquitectura do edifício.



No Ano Internacional da Arquitectura, o Ministério da Cultura e a Ordem dos Arquitectos, promoveram a abertura de um concurso para o projecto deste edifício. O então Instituto Português de Arqueologia, com a colaboração da Ordem dos Arquitectos, lançou o Concurso Público para os trabalhos de concepção e elaboração do projecto do que se designou então "Museu de Arte e Arqueologia do Vale do Côa." O primeiro prémio foi atribuído à equipa dos Arquitectos Pedro Pimentel e Camilo Rebelo, do Porto.
O museu construído é resultado do desenvolvimento da proposta vencedora: projecto do edifício e o projecto expositivo. “A evolução do corpo do museu – enquanto prótese metamórfica – tem por base um pressuposto único de integração na paisagem. Neste sentido é simultaneamente um gesto forte e afirmativo, mas também subtil, sensível à topografia e dialogante com a paisagem que o recebe.”
O edifício é constituído por quatro pisos, cobertura/Piso 2, Piso 1, Piso 0 e Piso-1, organizados por um sistema particular de circulações verticais e horizontais. A cobertura reúne circulações pedonais de acesso ao museu e
faixas destinadas a estacionamento de veículos. Incorpora ainda áreas panorâmicas. Dois elevadores e uma escada criam a ligação directa ao átrio de entrada do museu.
O Piso 0, onde se situa a exposição permanente do museu e as salas de exposições temporárias, é estruturado pela rampa/corredor que percorre todo o corpo. “No fim do primeiro tramo desta rampa forma-se um nó de ligações”: para o interior do Museu, para a área administrativa, sede do Parque e Museu do Côa, para o piso inferior, onde se localiza o restaurante e cafetaria (ainda não concessionados) e auditório.
In
http://www.arte-coa.pt/index.php?Language=pt&Page=Museu&SubPage=Edificio


Porque as gravuras não sabem nadar, io!